Eu beijo as estrelas - Morcega

domingo, 3 de dezembro de 2017

Eu beijo as estrelas

Se eu falasse pra mim mesma do passado o que aconteceria, eu de agora levaria um tapa na cara, pois eu do passado não aceitaria de jeito nenhum. Sairia pelas ruas, desolada, ouvindo músicas tristes e me apegando a cada momentinho, guardando no fundo da memória para caso eu do futuro estivesse certa, o que era impossível, porque eu do passado jamais deixaria aquilo acontecer.


Eu beberia pra esquecer, me mataria pra lembrar, entraria no colapso que eu realmente entrei. E então veria toda minha vida mudar. De cabeça pra baixo, de trás pra frente, do avesso. E eu sofreria tanto, tanto, tanto. Passaria as noites chorando, passaria as noites olhando para as estrelas e perguntando "por quê? por que vocês me abandonaram?" mesmo que elas continuassem brilhando no mesmo lugar de sempre.

Eu pensaria "não vou mais beijar as estrelas, elas não me escutaram". Nem eu escutava o que eu mesma dizia, porque não era sobre o que eu falava, e sim sobre o que eu sentia. Naquela ânsia de achar um caminho, eu me perdi de mim mesma, e de repente eu virei uma criança que por um descuido deixou o balão sair voando, sozinho, pra longe, pra muito longe, pra onde não dava mais pra ver.

Se eu falasse pra mim mesma do passado que eu renasceria das cinzas, sairia da lama, levantaria da queda com minhas próprias pernas calejadas de tanto cair, eu de agora levaria um tapa na cara, porque eu do passado não tinha como saber o que existia dentro de mim mesma. Agora eu sei. E antes de dormir eu beijo as estrelas e beijo e beijo porque elas continuaram lá brilhando no mesmo lugar.

Nenhum comentário:

@m0rcega